QUEM SOMOS
O Projeto Estrutural tem como finalidade definir corretamente a localização de vigas, pilares, lajes e outros elementos sem comprometer a arquitetura e gerar custos a mais ou a menos no orçamento final ou ainda, correr o risco de apresentar problemas futuros na estrutura da edificação. Ezat, serviços de Reforço Estrutural e Laudo Estrutural para obras.

Ezat na vanguarda com o BIM Modelagem das informações do edifício, criando um modelo digital integrado de todas as disciplinas (Estrutura, Arquitetura, Hidráulica, Elétrica, etc.), e que abrange todo o ciclo de vida da edificação.

Mais que projetos.
compartilhando eficiência
e qualidade em equipe.
  • Para que serve um Projeto Estrutural / Cálculo Estrutural? O Projeto Estrutural determina elementos tais como, fundação, pilares, vigas e lajes numa estrutura convencional, que têm como objetivo sustentar a edificação. Estes transmitem suas cargas acidentais e permanentes ao solo, com o objetivo de, basicamente, garantir três fatores fundamentais na construção: Segurança, Economia e Durabilidade.

    Uma estrutura pode ainda ser projetada e construída em concreto armado, alvenaria estrutural, paredes de concreto, pré-moldada, estrutura metálica, madeira, etc. dependendo da destinação de tal obra.

    O processo produtivo ou fluxo de trabalho consiste em 3 (três) fases: a primeira diz respeito ao Estudo Preliminar que se divide em 4 (quatro) etapas, Análise crítica da arquitetura, Modelagem Estrutural, Análise Estrutural (onde é analisado a segurança da estrutura e funcionamento) e Pré-dimensionamento. Já a segunda fase associa-se ao Pré-executivo e se divide em 2 (duas) etapas: Compatibilização e Refinamento do modelo estrutural. Por fim, temos a terceira e última fase indicando o Projeto Executivo com apenas 1 (uma) etapa: Cálculo e detalhamento dos elementos estruturais, que nos fornece o resultado final do projeto estrutural.

    Nesse sentido, é importante salientar que a especificação de uma estrutura de forma completa abrange todos os seus aspectos gerais, tais como locação, formas, armações e todos os detalhes necessários para a sua construção.

    A estrutura deve resistir às forças verticais, horizontais (ventos fortes) e solicitações que são impostas durante a sua vida útil e, em algumas partes do mundo, a terremotos.
  • Considero importante Projeto Estrutural em obras grandes, mas nas de pequeno porte meu pedreiro ou empreiteiro faz; ele me garantiu que não terei problemas, pois já fez muitas! Cada obra tem suas características: vãos, desnível de terreno, pé-direito duplo, quantidade de pavimentos, tipos de estruturas, cargas maiores ou menores, etc.

    A falta de um projeto estrutural pode sinalizar, então, que a análise dos parâmetros de cálculos, independente do porte da obra, não foi bem consolidada e isso pode levar à ocorrência de patologias desde simples fissuras, trincas, como até mesmo colapso (ruína) desta.

    Uma confusão muito grande até mesmo por parte dos próprios profissionais da área está associada à ideia que ter "bastante" aço é melhor que ter menos, mas não é uma verdade. Na situação de peças solicitadas à flexão com pouco aço ocorre ruptura frágil (brusca) por tração no concreto, na de peças com muito aço a ruptura também é frágil (brusca) por esmagamento do concreto comprimido o que deixará a estrutura insegura, sem contar no desperdício de material.

    Ao falarmos de ruptura brusca estamos destacando os perigos que a peça pode trazer ao romper sem "avisar" por meio da apresentação de fissuras, ou seja, corre-se o risco de uma ruptura com pessoas no local podendo estas nem perceberem e não terem como fugir.

    Portanto, é preciso que se tenha uma quantidade de aço ideal e calculada, para que a estrutura mantenha-se de maneira que ocorra o equilíbrio entre as tensões do aço e concreto.

    Além dos aspectos citados acima relacionados a cálculos, temos os detalhamentos.

    Podemos destacar como exemplo de obras de pequeno porte patologia não tão incomuns assim referentes às lajes em balanço. Para que isso ocorra basta que o pedreiro ou empreiteiro posicione barras erradas à laje. Pode causar desabamento? Sim. E infelizmente se tiver alguém embaixo não terá muita chance de escapar com vida, ainda que seja uma laje de varanda, pois a pessoa poderá sofrer queda. Este é apenas um exemplo muito representativo dos problemas que podem ser ocasionados com ausência de consistência nessa área da engenharia.

    Seria impossível de forma empírica, sem cálculo um profissional sem qualificação técnica e acadêmica chegar a esses dados. Dessa forma, é exatamente aí que o pedreiro ou empreiteiro negligencia superdimensionando a estrutura, por não ter visão aprofundada sobre o processo, podendo até estar prejudicando a estrutura neste aspecto. O outro fator é o grande desperdício de material que o proprietário poderá ter, exatamente por não ser da área e não imaginar a soma de dinheiro que estará perdendo por não considerar fundamental a importância de se ter um projeto estrutural.
  • Não vejo a menor necessidade em se fazer Sondagem. Acho que só vou gastar dinheiro! Para determinarmos as características e propriedades do solo de uma residência ou empreendimento é necessária a execução de sondagens. Dessa forma, o engenheiro de posse dessas informações poderá tomar decisões acerca do projeto e execuções mais eficientes, precisas, seguras e econômicas.

    A título de compreensão destacamos a seguinte analogia: um médico dificilmente tomará decisões importantes no diagnóstico de um paciente apenas baseado no contato visual, sem antes executar investigações mais detalhadas (exames laboratoriais, raio X, etc.). O mesmo acontece na engenharia. Um engenheiro com informações mais detalhadas poderá projetar ou escolher o melhor tipo de fundação, bem como sua provável cota de apoio de uma forma mais econômica, segura, eficiente munido de dados mais concretos. Tal processo representa, assim, uma maior segurança para todos os envolvidos no sentido de uma possível ocorrência de recalque na fundação, posto que os danos na edificação podem ser grandes e os reparos extremamente onerosos.

    Podemos destacar que o solo apresenta deformações ao longo do tempo, sendo que somente uma sondagem e um cálculo detalhado nos mostrará o tipo de fundação adequada, se a melhor escolha é uma fundação rasa ou profunda.

    Na condição de ser uma fundação profunda, precisamos conhecer o diâmetro das estacas, profundidade limite, quantidades a serem adotadas em cada ponto, entre outras informações. Sem essas referências, a construção evidencia, empiricamente, um resultado no "escuro".

    Por que não vale a pena para o Calculista, mesmo o cliente validando?
    Posso afirmar diante das experiências construídas ao longo de anos que em obras de grande porte é impossível trabalhar sem sondagem.

    Vou além: digo que até em obras de pequeno porte (residências térreas), pois, invariavelmente, o profissional que trabalha sem sondagem está majorando os esforços e, consequentemente, onerando a obra. No entanto, o mais preocupante é que por mais que você majore, ainda estará trabalhando no "escuro", pois além de estar trabalhando completamente fora das Normas técnicas, o resultado final será um projeto antieconômico, além da ausência de garantia de segurança, pois a proposta não terá sustentação, sendo baseada assim, em "achismos".

    Podemos concluir que o resultado final que estará à disposição do cliente e de outros profissionais da obra não é um projeto confiável. Por fim, o Calculista não vê benefícios para o escritório e muito menos para o cliente ao associar o seu trabalho a um projeto antieconômico e sem garantias de segurança. Autor do Blog: Eng. Lucas Constancio, Mestre em Engenharia Geotécnica
  • De que forma um Projeto pode realmente me ajudar? Por favor, me explica melhor, pois preciso de mais dados! O Projeto incide diretamente na Segurança, Economia e Durabilidade das construções, mas podemos destacar que haverá também a valorização do empreendimento.

    Segurança - Pelo motivo de todos os elementos estarem dimensionados de acordo com critérios rigorosos de cálculo, resistência dos materiais, tensões, deformações, estabilidade dinâmica, aparência, conforto do usuário, funcionalidade, etc, que são analisadas exaustivamente, garantindo, assim, a estabilidade local e global da estrutura, por meio de análises respaldadas pelas Normas.

    Economia - Sabemos que todos os projetos envolvidos representam em torno de 5% do valor global da obra (Arquitetura, Estrutura, Hidráulica, Elétrica, Ar condicionado, Bombeiro, etc. No entanto, a estrutura representa apenas de 0,5% a 0,8% do valor global.

    Fazer uma economia de 0,5% a 0,8% no valor global do empreendimento não parece razoável para uma empresa ou proprietário que pretende construir uma obra, tendo em vista que este percentual quase irrisório constitui o ponto mais importante: a ESTRUTURA. Isso significa dizer que se exatamente a estrutura apresentar problemas à residência ou edifício terão maiores gastos futuros, muitas vezes até inviabilizando o empreendimento. Dessa forma, segundo a "Lei de Sitter" ou "Lei dos 5" os custos cresceriam exponencialmente para se fazer uma reabilitação da estrutura.

    Sendo importante dizer que se forem tomadas medidas fora do nível de projeto, não mais poderão propiciar economia e otimização da estrutura da forma mais plena possível como aconteceria se a escolha tivesse sido pautada pela execução de um Projeto Estrutural.

    Lei de Sitter - Custos da intervenção X Tempo decorrente, 1x Durante o Projeto, 5x Durante a Execução, 25x Durante a Manutenção Preventiva e 125x Durante a Manutenção Corretiva.

    Você vai querer ter um custo real de 0,4% a 0,7% do empreendimento, ou correr o risco de posteriormente reabilitar a estrutura com custos exponencialmente maiores, sem mensurar a dor de cabeça?

    Exemplo: Seu custo unitário é 1 durante o tempo de projeto, ou seja, custo de projeto. Caso sejam descobertos problemas durante a manutenção preventiva, terá um custo de 25, ou seja, cresceu 25X apenas por ter descoberto o problema em momento inadequado.

    Por incrível que pareça é muito comum este fenômeno, pois reforço estrutural e/ou reabilitação estrutural são caras, mas a boa notícia é que isso pode sim ser evitado.

    Essa é a forma mais clara e explicita de demonstrar o motivo de não compensar trabalhar sem projeto, ou "pechinchar" o menor preço sem dar a relativa importância para este trabalho.

    A economia não está só no aspecto de uma estrutura bem calculada, mas em uma estrutura bem concebida (projetada), racionalizada. Com isso, os pedreiros, empreiteiros e engenheiros constroem numa velocidade maior, pois a compreensão do projeto é mais fácil, já que o nível de detalhamento fez toda a diferença. Se o projeto é simples de entender, todos produzirão mais, considerando a máxima de que tempo é dinheiro!

    Durabilidade - Projeto realizado de acordo com todas as normas técnicas (qualidade).

    Valorização do empreendimento - Você já foi comprar uma casa ou um apartamento e viu um pilar (coluna) num ponto que "melou" o negócio? Uma viga passando num local que tirou a estética do empreendimento? Isso é muito comum!

    Um projeto bem pensado na concepção elimina esses problemas e valoriza seu empreendimento para uma futura venda.
  • Seja mais claro: quais as Vantagens em contratar o Projeto Estrutural da EZAT? Jamais um construtor deve pensar que o projeto estrutural é um custo a mais para a obra. Pode sim e merece ser visto como um investimento, já que agrega muitos valores à obra em questão.

    Vale ressaltar que o valor de um projeto estrutural é mínimo se comparado a outros diversos serviços que envolvem a construção de uma edificação, como já dito antes.

    Confira alguns benefícios que você pode alcançar com um bom projeto:
    • Garantia de segurança da edificação para seus usuários;
    • Definição do melhor sistema estrutural para a edificação (economia de material e rapidez na execução);
    • Posicionamento correto do dimensionamento das peças estruturais (economia de material, rapidez na execução e valor de revenda);
    • Racionalização no uso de materiais (economia);
    • Projeto realizado de acordo com as normas técnicas (durabilidade e qualidade);
    • Ausência de interferências indesejadas em relação a vizinhos (racionalizar / economia);
    • Facilitação das Futuras manutenções (racionalizar / economia);
    • Compatibilização com outros projetos da obra (racionalizar / economia);
    • Planilha de materiais para orçamento (produtividade / economia);
    • Possível previsão de futuras ampliações (flexibilidade / economia).


    Como se pode perceber são inúmeros os benefícios que você pode alcançar com um consistente e seguro projeto estrutural. Será que ainda vale a pena questionar a importância e valor de um serviço tão nobre para sua obra e por que não, para sua vida?
  • "O bom Engenheiro Estrutural é aquele que consegue conduzir o veículo do seu projeto de um lado ao outro de uma estrada relativamente estreita e construída entre dois precipícios: à esquerda, o da INSEGURANÇA e, à direita, o do DESPERDÍCIO."

    Prof. Lauro Modesto dos Santos
  • LHE OFERECEMOS:
    • Segurança
    • Economia
    • Qualidade
    • Racionalização